O que é probabilidade?

A probabilidade é a área da Matemática que estuda a chance de determinados eventos acontecerem. Ela é aplicada em diversas situações, como na meteorologia, que faz uma estimativa, levando em consideração o clima, da probabilidade de chover em um determinado dia.

Outro exemplo são os jogos de carta, como o pôquer, em que o jogador vencedor é o que possui a mão mais rara, ou seja, com menor probabilidade de acontecer. A probabilidade estuda o que chamamos de experimentos aleatórios, os quais, repetidos nas mesmas condições, apresentam resultado imprevisível.

Entre os experimentos aleatórios, a probabilidade busca estimar qual a chance de um determinado evento acontecer, como a chance de se retirar o rei em meio a um baralho, entre outros eventos aplicáveis no dia a dia. Quando esses eventos possuem a mesma chance de acontecer, eles são conhecidos como equiprováveis. Para calcular a probabilidade, utilizamos uma fórmula, que nada mais é do que a razão entre casos possíveis e casos favoráveis.

Probabilidade é a área da Matemática que estuda o comportamento de eventos aleatórios.

No mundo em que vivemos, estamos cercados de acontecimentos que podem ser previstos, e a probabilidade acaba buscando soluções para conseguir prever resultados dos chamados experimentos aleatórios, sendo base para tomadas de decisões. As estimativas matemáticas são sempre feitas com base na estatística e na probabilidade, área fundamental para a análise do comportamento desses fenômenos. Com o auxílio da probabilidade, os investidores tomam decisões sobre os seus ganhos e futuros investimentos, por exemplo.

Assim sendo, podemos definir a probabilidade como a área da Matemática que estuda a chance de um determinado evento ocorrer.

Experimentos aleatórios

Experimento aleatório é aquele que, mesmo realizado diversas vezes nas mesmas condições, possui um resultado imprevisível. Esse é o caso dos diversos sorteios da Mega-Sena, que são realizados sempre nas mesmas condições. Ainda que a gente conheça todos os resultados dos últimos sorteios, é impossível prever qual será o resultado do próximo; caso contrário, todas as pessoas com um pouco de dedicação conseguiriam acertar os próximos números. Isso acontece porque estamos trabalhando com um experimento aleatório, no qual é impossível prever o resultado.

Outro exemplo bastante comum é o lançamento de um dado comum não viciado. Sabemos que os resultados possíveis no lançamento é qualquer número entre 1 e 6. Ainda que a gente consiga estimar um intervalo de possíveis resultados, esse é um experimento aleatório, já que não é possível saber qual será o resultado do lançamento.

Espaço amostral

Em um experimento aleatório, não conseguimos prever o resultado com exatidão, porém é possível prever os resultados possíveis. Dado um experimento aleatório, o conjunto formado por todos os resultados possíveis é conhecido como espaço amostral, que também pode ser conhecido como conjunto universo. É sempre um conjunto, normalmente representado pelo símbolo grego Ω (lê-se: ômega).

Em muitos casos, o nosso interesse não é a listagem do espaço amostral, mas sim a quantidade de elementos que ele possui. Por exemplo, ao lançar um dado comum, temos que Ω: {1,2,3,4,5,6}. Para calcular a probabilidade, é essencial conhecer a quantidade de elementos no espaço amostral, ou seja, qual é a quantidade de resultados possíveis para um determinado experimento aleatório. Outro exemplo é o espaço amostral do lançamento de uma moeda por duas vezes consecutivas. Os resultados possíveis são Ω:{(cara,cara); (cara, coroa); (coroa, cara); (coroa, coroa)}

Ponto amostral

Conhecendo o espaço amostral de um determinado experimento aleatório, o ponto amostral é um entre os resultados possíveis desse experimento. Por exemplo, ao lançar o dado comum e observar sua face superior, temos como ponto amostral o número 1, pois ele é um dos resultados possíveis, sendo assim, qualquer um dos resultados possíveis é um ponto amostral.

Evento

Calculamos a probabilidade de eventos acontecerem, então, para compreender a fórmula da probabilidade, o conceito de evento é essencial. Conhecemos como evento qualquer subconjunto do espaço amostral. No lançamento de um dado, por exemplo, podemos encontrar vários eventos, como o subconjunto com os números pares P={2,4,6}.

Evento certo: um evento é conhecido como certo, quando ele tem 100% de chance de acontecer, ou seja, é um evento que temos certeza de que acontecerá.

Exemplo:

No lançamento de um dado, um evento certo, por exemplo, é ter um resultado menor ou igual a 6. Então, o conjunto de resultados possíveis para o evento é {1, 2, 3, 4, 5, 6}. Note que o conjunto do evento coincide com o espaço amostral. Quando isso ocorre, o evento é tido como certo.

Evento impossível: um evento é impossível quando ele possui 0% de chance de acontecer, ou seja, é impossível de acontecer.

Exemplo:

No lançamento de um dado comum, obter um resultado igual a 10 é um evento impossível, já que não existe 10 no dado.

Cálculo da probabilidade

Dado um experimento aleatório, podemos calcular qual é a probabilidade desse evento acontecer, por meio da razão entre o número de elementos do evento e o número de elementos do espaço amostral. 

P(A): probabilidade do evento A.

n(A) → número de elementos no conjunto A (casos favoráveis).

n(Ω) → número de elementos no conjunto (casos possíveis).

Exemplo 1:

No lançamento de um dado comum, qual é a probabilidade de se obter um resultado maior ou igual a 5?

Resolução:

Primeiro vamos encontrar a quantidade de elementos no espaço amostral. No lançamento de um dado comum, há 6 resultados possíveis, ou seja, n(Ω)=6.

Agora vamos analisar o evento. Os casos favoráveis são resultados iguais ou maiores que 5; no caso do dado, é o conjunto A = {5,6}, então temos que n(A) = 2.

Logo, a probabilidade desse evento ocorrer é:

Fonte: preparaenem.com

ÚLTIMAS DO BLOG​